Atlético Paranaense

Com brigões livres, Atlético-PR volta ao palco da confusão pela primeira vez
Com brigões livres, Atlético-PR volta ao palco da confusão pela primeira vez
  • 09:49

Com brigões livres, Atlético-PR volta ao palco da confusão pela primeira vez

Pouco mais de um ano e meio após briga de torcidas em jogo com Vasco, equipe volta à Arena Joinville. Atualmente, greve da Justiça impede vigilância da punição

O Atlético-PR vai reencontrar, na noite de sábado, o palco de um dos capítulos mais tristes de sua história. O time volta a jogar na Arena Joinville, contra o time da casa, pela primeira vez após a briga entre rubro-negros e vascaínos na última rodada do Brasileirão de 2013. Na ocasião, o Furacão já cumpria punição por uma confusão e teve que jogar longe de casa. Com histórico de rivalidade e sem policiais entre elas, as torcidas acabaram protagonizando uma das cenas mais lamentáveis da história do futebol.

Naquele mesmo dia, 8 de dezembro de 2013, e nas semanas seguintes, 24 torcedores - sendo 17 atleticanos - foram presos e 16 deles processados e condenados a comparecer à delegacia durante dois anos (ou seja, até o final de 2015). No entanto, a principal punição ocorrida para eles até hoje não é controlada, pois o sistema judiciário de Santa Catarina está em greve há dois meses e não tem acompanhado os brigões.

Briga entre torcedores que estavam no estádio foi uma das piores dos últimos anos (Foto: Pedro Kirilos/Agência O Globo)

A reportagem do GloboEsporte.com entrou em contato com a Justiça catarinense, mas a única pessoa que atendeu disse que não é possível saber se o controle será retomado após a paralisação ou se haverá punição para quem não compareceu à delegacia no período.

Greve da Justiça de Santa Catarina impede controle de brigões nas delegacias durante os jogos. Dezesseis atleticanos foram condenados

A Polícia Civil do Paraná também não tem informações sobre esses 16 torcedores. O delegado da Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos (Demafe), Clóvis Galvão, diz que só a Justiça catarinense acompanha o caso.

- O caso está com a Justiça de Santa Catarina. Nós não temos mais nenhum envolvimento com este episódio - explicou o delegado.

Para o jogo que marca a volta do Furacão à Arena Joinville, às 21h (horário de Brasília) de sábado, a principal organizada do Furacão, a Torcida Organizada Os Fanáticos (TOF), prepara uma excursão. A expectativa é que dois ou três ônibus sejam utilizados. Na ocasião, diante do Vasco, a organizada havia proibido que mulheres participassem da viagem por questões, definidas por eles, de segurança. Dessa vez, a diretoria da TOF garante que não há restrições.

- Teve o negócio com o Vasco, mas não tem mais nada. Já fizemos as pazes. Está tudo normal agora. Mulher pode viajar, sem problema. Só não pode viajar quem está suspenso - afirmou o presidente da Fanáticos, Adilson Pereira, em entrevista ao GloboEsporte.com.

As organizadas de Atlético-PR e Vasco selaram a paz em fevereiro - vale lembrar que os clubes se enfrentam no dia 6 de junho, um sábado, na Arena da Baixada. Além da Fanáticos, outros torcedores também preparam excursões em vans e ônibus para Joinville.

Dentro de campo, apenas um jogador do time atual - o goleiro Weverton - presenciou a briga generalizada nas arquibancadas. O volante Deivid, que também atuou naquela partida, é dúvida para o jogo de sábado - com lesão na coxa, ele será reavaliado pelo departamento médico.

Fonte: Globo Esporte