Corinthians

Destaque do Corinthians quase foi para Europa após ser algoz de Cássio
Destaque do Corinthians quase foi para Europa após ser algoz de Cássio
  • 08:14

Destaque do Corinthians quase foi para Europa após ser algoz de Cássio

Há quase sete anos dois companheiros do atual Corinthians encontraram-se em uma situação pouco comum e como adversários. O zagueiro Pablo, então com 18 anos, fazia a estreia pelo Ceará e foi justamente em um amistoso contra o PSV, da Holanda, que tinha o goleiro Cássio, então com 22. O encontro foi tão inusitado que terminou empatado por 1 a 1, em Fortaleza, e o defensor fez o gol cearense ao finalizar de cabeça contra o futuro companheiro, com quem compõe atualmente a melhor defesa do Campeonato Paulista.

Minha estreia foi muito boa. Pude jogar um grande jogo internacional e ainda fui muito feliz por ter feito um gol. Foi em cima do Cássio (risos). Às vezes lembro do gol para ele, na bricandeira. Foi bem marcante. A emoção foi muito grande. Estrear como profissional e fazer um gol não tem emoção maior. Tinha só 18 anos", relembrou Pablo ao ESPN.com.br.

O tento naquele 6 de maio de 2010 voltou a fazer parte das lembranças do defensor assim que ele chegou ao Corinthians em fevereiro, emprestado pelo Bourdeaux, da França.

"Já falei algumas vezes com ele sobre esse gol. O Cássio é um cara sensacional, um líder dentro e fora de campo. Só tem o que nos acrescentar com toda experiência no clube e todas as conquistas que teve. Ele ajuda todo mundo do grupo. É muito bom atuar ao lado dele", disse Pablo para a reportagem, exaltando o goleiro alvinegro.

O que talvez os dois não saibam é que aquele gol no amistoso quase mudou toda a história de Pablo, antecipando o que acabou acontecendo no início de 2012.

"Ele foi meu jogador no Ceará. Eu o lancei, ele estava nos juniores. Eu disse: ‘Esse daí vai dar jogador bom'. O primeiro jogo dele foi realmente aos 18 anos em um amistoso contra o PSV. Ele fez o gol de empate. Curioso que o PSV veio com tudo para contratá-lo, mas por algum motivo não deu certo", relembrou o técnico PC Gusmão, que estava no Madureira.

"Pablo vai virar ídolo do Corinthians. Eu sei por que trabalhei muito tempo por lá. Ele tem o estilo que o torcedor gosta. É um jogador muito forte, chegada forte na bola para recuperação e ainda bom de bola aérea tanto no ataque quanto na defesa. E faz muitos gols", apostou o treinador, que está atualmente desempregado.

Destaque na defesa
Entre o Ceará e o PSV, Pablo chegou a jogar por empréstimo no Quixadá e no Tiradentes. A experiência no clube holandês pintou como uma grande chance, mas ele nem chegou a jogar por lá. Ficou pouco mais de um mês e acabou sendo liberado para o Grêmio.

Da passagem por Porto Alegre nada que possa ser lembrado com destaque. Depois o zagueiro jogou por Avaí, Ponte Preta e Bourdeaux, numa nova experiência na Europa. Foram nesses últimos clubes que teve mais espaço e passou a aparecer.

Chegou ao Corinthians emprestado, mas rapidamente se encaixou no time de Fábio Carille. Com ele, a equipe tem uma defesa ajustada e que toma poucos gols.

"Estou muito feliz no Corinthians e me sinto em casa. Tudo que tem acontecido em tao pouco tempo so faz com que me dedique ainda mais para trabalhar cada dia mais forte".

"O mérito da nossa defesa ser tão boa é da equipe. O ataque começa ajudando na marcação até a defesa. O Carille nos passou o estilo de jogo dele e a gente tem implementado isso dentro de campo. Os elogios servem só para nos motivar e para que a gente mantenha a atenção e a pegada. Não podemos deixar que os elogios venham fazer a gente pensar que somos os melhores. Ao contrário, temos de trabalhar ainda mais."

Pablo tem contrato com o Corinthians até o final da atual temporada, uma vez que o vínculo dele com os franceses encerrá somente em 30 de junho de 2019. Até aqui ele participou de 16 dos 18 jogos do time no ano e sempre como titular.

Tem recebido elogios públicos de Carille, que em entrevistas coletivas afirmou que Pablo é um "zagueiro firme". Também já destacou que o defensor é rápido e bom na bola aérea, além de ver nele um líder do grupo. Alguns torcedores o veem como "xerifão" da zaga.

Além de tudo, ele já fez dois gols (ambos no Paulista) para alegria da torcida.

"Eu falo com todo mundo e converso com a galera do clube. A minha adaptação ao Corinthians foi bem fácil. Sinto que foi mais complicado se acostumar na Europa por conta de todas as mudanças como idioma, cultura e futebol diferentes", explicou.

Fonte: ESPN