Grêmio

Grêmio receberá R$ 1 bilhão por contrato de transmissão de seis anos
Grêmio receberá R$ 1 bilhão por contrato de transmissão de seis anos
  • 13:15

Grêmio receberá R$ 1 bilhão por contrato de transmissão de seis anos

Presidente Romildo Bolzan considerou acordo como melhor negócio da história do clube

Lucas Uebel/Divulgação/Grêmio FBPA

Um bilhão de reais por um contrato de seis anos. Esta é a projeção de receita dos dirigentes gremistas com o novo contrato de transmissão de televisão que vale de 2019 a 2024. A empolgação entre eles é grande. Garantem que fizeram um dos melhores negócios da história do Grêmio, conseguindo até o último centavo, aproveitando-se da disputa entre a TV Globo e o Grupo Turner, proprietário do canal Esporte Interativo.

São R$ 100 milhões por ano. Um acordo fechado para todos os tipos de transmissão da Globo: TV aberta, fechada, pay-per-view e streaming. Com a correção pela inflação e mais as luvas de R$ 100 milhões, o cálculo é que a receita alcançará a cifra bilionária. O presidente Romildo Bolzan Júnior não confirma os valores, porém destaca: “É o maior contrato da história do Grêmio”.


Há um aumento em relação ao atual contrato, mas a principal comemoração é a redução drástica para Flamengo e Corinthians. No triênio de 2016 a 2018, o Tricolor recebe R$ 60 milhões por temporada enquanto os dois times mais populares do país embolsam R$ 170 milhões cada, uma diferença de quase 200%. No novo modelo de divisão, com 40% sendo repartido igualmente, 30% pela classificação do ano anterior e os outros 30% pela audiência, a distância para estes dois deve ficar entre 25% e 30%, no máximo até 40%.

Pesou na decisão gremista também o medo de perder o poder de barganha na hora de negociar a TV aberta caso fechasse com o Grupo Turner, ou mesmo alguma retaliação por parte da TV Globo. Decidiu fechar o acordo pelo pacote completo. “Pode ser até que proporcionalmente seja mais vantajosa (a proposta do Esporte Interativo), mas correríamos alguns riscos”, salienta Romildo. A direção irá apresentar o novo contrato no Conselho Deliberativo na reunião marcada para o dia 29 de março.

Fonte: Correio do Povo