Santos

Relembre cinco frases inesquecíveis de Zito,
Relembre cinco frases inesquecíveis de Zito, "o gerente"
  • 14:39

Relembre cinco frases inesquecíveis de Zito, "o gerente"

Zito foi o capitão do time de ouro do Santos na década de 60

Zito, o "moço de Roseira", como era chamado pelo saudoso narrador Fiori Gigliotti, nunca foi de entrar em polêmicas e teve uma longa e vitoriosa carreira sem qualquer tipo de escândalo.

Porém, seu jeito humilde e simples sempre gerou boas 'resenhas'. Com boa memória, Zito lembra bem de detalhes da década de ouro do Santos em 60, em que o Alvinegro empilhou troféus para sua galeria. 

O capitão do time era brincalhão, mas, sabia ser sério quando necessário. O 'gerente', como é chamado, se gaba de ser o "único que Pelé obedecia". 

Veja cinco frases inesquecíveis de Zito

"Melhor coisa da minha vida foi ter jogado futebol. Uma pena não poder recomeçar a jogar bola depois de velho". 

"Eu era o único a dar bronca em Pelé. Eu chamava a atenção, enchia o saco, o xingava. Aí ele ficava com raiva, corria mais, e fazia mais gols. Questão de estratégia".

"A gente entrava em campo, e como eu era o capitão, os times me pediam para ganharmos de pouco. Mas a gente não relaxava, queríamos sempre mais. Era um timaço. Dá muita saudade".

"O presidente queria que a gente recebesse bem o Pelé, menino bom de bola de 15 anos. E a gente aprontou muito quando ele chegou. Ele virou o menino que ia comprar sanduíche pra gente".

"Libertadores não dava dinheiro para o clube. Era melhor excursionar. Se a gente tivesse jogado todas as Libertadores da década de 60, não tinha pra ninguém. Não ia dar pra contar nos dedos das mãos".

FONTE: A TRIBUNA ONLINE